Sobre mim

Meu nome é Iris, tenho 21 anos e sou autora dos livros Confissões on-line e Dividindo Mel. Sou estudante de Comunicação Social, trabalho com livros e adoro falar sobre música, literatura e comportamento.

Confissões on-line

Confissões on-line é meu segundo livro e será lançado em novembro de 2013. Saiba mais

Adicione no Skoob e Goodreads.

Agenda – 2014

Em 2014 farei eventos para lançar meu livro em várias cidades do Brasil. Os eventos abaixo já foram marcados, fique de olho para saber se sua cidade terá um evento.

22/03. Curitiba
Livrarias Curitiba - Shopping Palladium
Horário: 10h00 (Dez da manhã)

25/04. São Paulo
Saraiva - Paulista

10/05. Recife
Saraiva - Shopping Rio Mar

Quer um evento na sua cidade? Entre em contato com a @Generale_ED e peça evento na sua cidade!

Dividindo Mel

Dividindo Mel é meu primeiro livro e foi lançado em dezembro de 2011. Saiba mais.

Adicione no Skoob e Goodreads.

Instagram

Siga no instagram: @irisfigueiredo

Romance

Eleanor & Park – Rainbow Rowell

I want everyone to meet you. You’re my favorite person of all time.
(Eu quero que todos conheçam você. Você é minha pessoa favorita de todos os tempos.)

Enquanto Park quer que todos conheçam Eleanor, eu quero que todos conheçam esse livro. Sempre disse – e repito – que livros são sobre sentimentos; e se a quantidade de emoções que você sente enquanto lê um romance são fatores determinantes para a qualidade dele, com certeza esse é um dos melhores livros que já li. Essa história me proporcionou todos os sentimentos possíveis: desde sorrisos bobinhos, sonhos até lágrimas copiosas. Rainbow Rowell sabe como mexer com o seu coração – e ela não sente pena. Continue lendo

Como eu era antes de você – Jojo Moyes

Como eu era antes de você é uma leitura cativante. Se você tem interesse em lê-lo, prepare os lencinhos para essa leitura e venha ler minha resenha!

Louisa Clark está acomodada no café onde trabalha. Aos 26 anos, ela não tem muitas ambições na vida e não almeja muito além dos limites da cidade onde vive – ela ainda mora com os pais e namora há anos um triatleta que está mais interessado no próprio corpo que nela. A vida dela segue assim até que um dia o dono do café decide fechar o estabelecimento, então Lou tem que correr atrás de um novo emprego. Continue lendo

Peça-me o que quiser – Megan Maxwell

Terminei de ler Peça-me o que quiser e a primeira pergunta que me veio à cabeça foi “Como fazer uma resenha desse livro?”. Eu pensei seriamente em desistir, é muito difícil fazer uma resenha de um livro tão… intenso, mas já que prometi a dona Iris Figueiredo, aqui está uma resenha (ou quase!).

Eu só li um livro (totalmente) do gênero erótico na vida e foi o Toda Sua, da Silvia Day. Eu li em inglês e achei muito ruim. A história é confusa e muitas coisas acontecem sem propósito nenhum. Então, quando eu comecei a ler Peça-me o que quiser, não tinha exatamente algo muito bom para comparar.

A base da história é a mesma: a protagonista começa a ter um caso com seu chefe. No caso, Judith Flores é uma espanhola geniosa que não gosta de abaixar a cabeça para ninguém. O chefe é o sedutor Eric Zimmerman, alemão cabeça-dura. Os dois se conhecem em um pequeno incidente no elevador da empresa. A partir daí, o chefão todo poderoso não consegue esquecer a secretária.

“Esse homem só pensa em sexo? Tá,  admito, eu também.”

A primeira coisa que eu tenho a dizer para quem quiser ler esse livro é: esqueça qualquer preconceito com assuntos relacionados ao sexo. Se você quer aproveitar o livro de verdade, não deve ler com a pretensão de esperar algo além de muito sexo.  Mais do que a história de um casal, Peça-me o que quiser narra às aventuras sexuais deles. Então, basicamente, tem muito sexo, muito.

E o sexo é pesado. Eu sinceramente não indico para quem não se sente a vontade com esse tipo de literatura: você provavelmente vai odiar esse livro. Agora, para quem gosta, Peça-me o que quiser é recheado de situações legais. Mas aviso: algumas delas são bastante constrangedoras.

Muita gente anda criticando os livros eróticos mais pela escrita em si, do que pelo seu propósito. Eu, particularmente, não gosto da narrativa escolhida pela autora. Não me sinto a vontade lendo livros assim, mas acabei lendo Peça-me o que quiser em poucos dias. É uma história que tem fluidez. Você consegue se envolver com o que está acontecendo e acaba esquecendo alguns defeitos. Continue lendo

Minha vida fora de série (2ª Temporada) – Paula Pimenta

Essa resenha pode conter spoilers do primeiro volume! Se você ainda não leu Minha vida fora de série, leia a resenha do primeiro volume aqui. A partir daqui, é por sua conta e risco.

A nossa defensora dos animais favorita está de volta. Nesse segundo volume, a vida fora de série de Priscila tem mais reviravoltas do que nunca! Paula Pimenta é a queridinha das adolescentes (e minha!) e esse livro era muito esperado por mim – alô, estou desde 2011 ansiosa pela continuação. Continue lendo

Um estudo pseudo-antropológico de tipos de casais ficcionais

Eu sei o que você pensou ao ler o nome do post: O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM A IRIS E COM O LITERALMENTE FALANDO SOCORRO POR QUE UM ESTUDO ANTROPOLÓGICO???????

Tenham calma! A Iris está bem e, a pedidos, estou aqui para fazer um post temático do dia dos namorados para vocês. Pensei em fazer um top cinco casais ficcionais, mas qual é a graça disso? Tenho certeza que pelo menos outros 99 blogs farão isso e terão mais ou menos os mesmos casais. Foi exatamente quando pensei isso que tive a iluminação: quais são os casais ficcionais que as pessoas mais gostam? Quais são os tipos que existem? Por que é que eles funcionam tão bem?

Se você parar para pensar, existem vários tipos de casais que se repetem na ficção, embora a forma de contar a história e a personalidade dos envolvidos variam. Em inglês, nós chamamos isso de trope (trope é um termo que não se refere apenas a casais, mas sim a recursos narrativos que são utilizados de forma recorrente em filmes, livros, seriados, histórias em quadrinhos e video-games).

A lista abaixo é composta por cinco tropes e deixo claro desde já que eles não são únicos, então um casal pode se enquadrar em mais de uma categoria. Peço que vocês me ajudem a completar a lista de obras que tem cada um dos casais nos comentários, ok?? É MUITA coisa para lembrar.

Vocês estão prontos, crianças!?!?! Continue lendo

Se7e minutos no paraíso – Rafaella Vieira

Raquel só se veste de preto e seu único amigo é Diego. Não que ela se importe muito com as outras pessoas, ela só quer saber do seu melhor amigo. E de mudar seu status de virgem, já que até seu cabelo nunca viu uma tinta. Sem nunca ter beijado na boca e com o hímen intacto, aos 16 anos Raquel não aguenta mais sua confusão hormonal – e muito menos a forma como seu coração para quando ela vê Diego, que é nerd, bonitinho e faz ótimas referências.

Ela não quer mais subir pelas paredes – não literalmente, mas você entendeu – e muito menos cultivar seu status de virgem. E, de quebra, conseguir ficar com Diego, que deixou de ser só amigo para virar seu sonho de consumo, o amor da sua vida e o cara por quem ela está caidinha. Continue lendo

No limite da atração – Katie McGarry

No limite da atração foi um livro que me surpreendeu muito – e positivamente. Não sei se foi por ter começado sem nenhuma expectativa ou esperar algo completamente diferente, mas Katie McGarry me ganhou com sua história. Ou melhor, com a história de amor entre Noah e Echo, dois jovens problemáticos que juntos encontram novamente a melhor parte de cada um, escondida por trás das cicatrizes que a vida os deu em tão pouco tempo.

Lançado pela Editora Verus, o livro foi muito comparado à Belo Desastre – também lançado pela Verus. Se você me perguntar, não sei exatamente por qual motivo resolvi ler No limite da atração, talvez para saber se o livro era realmente parecido com aquele que o comparavam (livro que não gostei, aliás). Mas, tirando “personagens problemáticos”, os dois livros são diferentes e seguem rumos opostos. Continue lendo

A probabilidade estatística do amor à primeira vista – Jennifer E. Smith

Um atraso de quatro minutos faz Hadley perder o avião para Londres. Ela está indo para o velho continente pela primeira vez, mas não é para uma viagem de férias. Sua viagem tem um motivo especial – ou não tão especial assim, depende do ponto de vista. Seu pai irá se casar pela segunda vez, mas tudo que ela queria era que esse casamento não acontecesse ou, no mínimo, ela não fosse obrigada a atravessar o oceano para ver seu pai ser feliz ao lado de outra mulher que não é sua mãe.

O que ela não precisava era ter que esperar horas até o próximo voo para a capital inglesa – o que a fará chegar muito atrasada no casamento e provavelmente ouvir um sermão de seu pai. Mas há males que vem para o bem e seu vizinho de poltrona é um universitário lindo e com sotaque inglês. Oliver lhe faz companhia durante a viagem e talvez faça Hadley acreditar em amor – especialmente à primeira vista. Continue lendo