Sobre mim

Meu nome é Iris, tenho 21 anos e sou autora dos livros Confissões on-line e Dividindo Mel. Sou estudante de Comunicação Social, trabalho com livros e adoro falar sobre música, literatura e comportamento.

Confissões on-line

Confissões on-line é meu segundo livro e será lançado em novembro de 2013. Saiba mais

Adicione no Skoob e Goodreads.

Agenda – 2014

Em 2014 farei eventos para lançar meu livro em várias cidades do Brasil. Os eventos abaixo já foram marcados, fique de olho para saber se sua cidade terá um evento.

22/03. Curitiba
Livrarias Curitiba - Shopping Palladium
Horário: 10h00 (Dez da manhã)

25/04. São Paulo
Saraiva - Paulista

10/05. Recife
Saraiva - Shopping Rio Mar

Quer um evento na sua cidade? Entre em contato com a @Generale_ED e peça evento na sua cidade!

Dividindo Mel

Dividindo Mel é meu primeiro livro e foi lançado em dezembro de 2011. Saiba mais.

Adicione no Skoob e Goodreads.

Instagram

Siga no instagram: @irisfigueiredo

Arquivos: November 2011

Primeiro capítulo do meu livro!

Agora é oficial! Os livros já chegaram da gráfica e estão na editora, que começa a enviar amanhã os exemplares de quem comprou em pré-venda. A pré-venda vai até sexta-feira, 2 de dezembro! Então corra para garantir o livro com 20% de desconto e frete grátis, porque depois ele volta para o preço normal. Para comprar, CLIQUE AQUI. Você pode ler o primeiro capítulo abaixo e depois me contar o que achou através dos comentários! Gostou? Compre, adicione ao Skoob e divida a Mel por aí!

Coração de Tinta – Cornelia Funke

Coração de Tinta é um presente para todos aqueles que já dormiram com um livro debaixo do travesseiro, sonharam com suas histórias, cheiraram suas páginas e passaram noites em claro com o rosto enfiado no papel, acompanhando as letras em tinta preta que levavam o leitor para um mundo que, muitas vezes, era mais colorido que o mundo real. Para leitores ávidos, a leitura é um refúgio, escape, encontro, desencontro, identificação, amor, ódio, sonhos, lágrimas, sorrisos, amigos que chegam e partem, amores que suspiram, amores que machucam, lugares que um dia iremos conhecer pessoalmente e lugares que conhecemos melhor do que ninguém, apenas em nossa mente. Esse ritual individual travado entre o livro e o leitor é algo mágico e não há um leitor sequer que nunca sonhou em viver alguma história que leu ou trazer um de seus personagens à vida.

Para o que nós é um sonho, para Mo é uma maldição. Apaixonado por livros, o jovem encadernador não pode ler nenhuma de suas histórias em voz alta. Tudo aquilo que ele lê pode ganhar vida – só que ele não escolhe o que deixa a segurança das páginas do romance. E a vida dos personagens que saem do livro possuem um preço: algo do nosso mundo vai embora em seu lugar. Mo pode tirar dos livros desde uma cadeira até fadas e vilões – e, em troca, podem ir embora desde almofadas até o amor de sua vida.
Foi assim que Mo perdeu sua esposa e, desde então, nunca mais leu em voz alta, uma vez sequer. Na última vez, ele tirou Capricórnio, um perigoso vilão, das páginas de um livro chamado Coração de Tinta. Em troca, perdeu sua esposa, deixando sua filha sem mãe e trazendo alguém perigoso para um mundo que não precisava de mais problemas.
Apesar de tudo, Mo despertou em sua filha o amor pela leitura. Meggie nunca entendeu porque seu pai nunca lu para ela, apesar de encadernar todos os livros que a filha possui e te-la ensinado a trata-los da melhor forma possível. Mas a história oculta de sua vida é descoberta quando Dedo Empoeirado aparece no meio da noite alertando Mo a respeito de Capricórnio, citando Coração de Tinta e chamando-o de Língua Encantada.
É por causa dos livros que Meggie sempre amou que ela é jogada em uma aventura que nem mesmo seu escritor preferido poderia imaginar. Com a ajuda de sua tia, uma colecionadora de livros chamada Elinor, e de Fenoglio, o escritor de Coração de Tinta, Meggie vive uma aventura que não foi impressa em tinta negra.
Apesar de ser uma brilhante fantasia juvenil, Coração de Tinta é um livro que pode ser lido por pessoas de qualquer idade, desde que elas possuam uma relação íntima com os livros. O leitor vai se encontrar nas páginas escritas por Cornelia Funke, em seus personagens apaixonados pelos livros. Cada capítulo inicia com citação de algum livro que casa perfeitamente com o conteúdo do capítulo, trazendo mais essa atmosfera bibliófila para a história. Além disso, há diversas frases que você vai querer marcar e guardar para sempre.
Coração de Tinta é o tipo de livro que você deseja prolongar a leitura, leva-la para sempre. Demorei um mês para lê-lo porque não tinha vontade de terminar, de tão bem que me senti durante a leitura. E essa certamente é uma história que ficará para sempre em meu coração e vou passar para meus filhos. Nada que eu escreva a respeito desse livro conseguirá transmitir o quão emocionada e cativada fiquei por ele. Demorei a conseguir escrever uma resenha decente, e tenho certeza que essa não está.

Além disso, Cornelia Funke, a autora, é completamente talentosa. Ela é a responsável pelas belas ilustrações que recheiam o livro e também pela capa maravilhosa.

O filme é interessante e poucas coisas mudaram, mas perde completamente a essência. Essa é uma história para ser lida e não vista, pois está completamente ligada ao poder das palavras, à arte de contar histórias e em como elas mudam o mundo. Se recomendo? Eu obrigo você a ler.
Título original: TINTENHERZ
Ilustrações: Cornelia Funke
Tradução: Sonali Bertuol
Páginas: 456

Sorteio: Terrível Encanto

Tivemos quase 800 entradas na promoção Terrível Encanto! Obrigado a todos que participaram. Fiquem ligados que a coisa vai ficar LOUCA a partir de dezembro com as promoções de 2 anos do blog :) Confiram o resultado:
Parabéns Julia! Envie seu endereço para literalmentefalando@live.com

E Não Sobrou Nenhum – Agatha Christie

Agatha Christie é referência quando o assunto é literatura policial. Autora de mais de oitenta livros, suas obras são publicadas ao redor do mundo e traduzidas para os mais variados idiomas. A autora inglesa é querida por um grande número de leitores e seus livros são marcados por uma narrativa cativante e crimes repletos de reviravoltas.
Originalmente publicado como “O Caso dos Dez Negrinhos”, “E Não Sobrou Nenhum” é o título mais célebre da autora. O livro conta a história de dez pessoas, todas diferentes entre si, que são convidadas para passar uma temporada em uma ilha por alguém que assina como U.N. Owen. O tal Owen parece conhecer muito bem a cada um dos convidados e nenhum deles duvida do convite. Todos partem para a Ilha do Negro, que antes pertencera a um excêntrico milionário. Ao chegarem lá, porém, seu anfitrião não está. Porém, após uma estranha gravação em um disco e duas mortes inexplicáveis, os visitantes da Ilha do Negro percebem que, provavelmente, não sobrará nenhum deles para contar história. A cada morte, desaparece um soldadinho de porcelana na estante – até não sobrar nenhum.

Todas as mortes ocorrem de um jeito que casa perfeitamente com um poeminha infantil que é encontrado nos quartos de hóspedes:

Dez soldadinhos vão jantar enquanto não chove;
Um deles se engasgou e então ficaram nove.
Nove soldadinhos sem dormir: não é biscoito!
Um deles cai no sono, e então ficaram oito.
Oito soldadinhos vão a Devon em charrete;
Um não quis mais voltar, e então ficaram sete.
Sete soldadinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles se corta, e então ficaram seis.
Seis soldadinhos de uma colméia fazem brinco;
A um pica uma abelha, e então ficaram cinco.
Cinco soldadinhos no foro, a tomar os ares;
Um ali foi julgado, e então ficaram dois pares.
Quatro soldadinhos no mar; a um tragou de vez
O arenque defumado, e então ficaram três.
Três soldadinhos passeando no zoo. E depois?.
O urso abraçou um, e então ficaram dois.
Dois soldadinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então ficou só um.
Um soldadinhos aqui está a sós, apenas um;
Ele então se enforcou, e não sobrou nenhum.

Apesar da trama hoje ser considerada clichê, foi algo novo em sua época. O leitor sabe, desde o início das mortes, que todos que estão na ilha irão morrer, alvos de um justiceiro desconhecido. O que nós não sabemos é o modo como essas mortes acontecerão e como elas casarão com o poema. A narrativa de Agatha Christie é ágil e popular, cativou um grande público e a tornou ícone ao redor do mundo. Todas as peças são colocadas para guiarem o leitor a um final inesperado.
A trama é atemporal. Apesar do leitor conseguir identificar alguns pontos que localizem o enredo em algum período, é um romance policial que poderia acontecer em qualquer época. Não é uma história datada e nisso reside muito de seu mérito.
Muitos filmes e livros foram escritos seguindo o mesmo “estilo” de “E Não Sobrou Nenhum”, mas podemos dizer, sem sombras de dúvidas, que foi Agatha Christie que “criou” esse modelo de trama e influenciou centenas de escritores e roteiristas ao redor do mundo. Há elementos clássicos na trama: um assassino à beira da morte e com se de de justiça, pessoas que cometeram crimes e ficaram impunes e são bem vistas aos olhos da sociedade, um ambiente remoto, mortes ocorridas em sequência, uma brincadeira sádica para o assassino e um crime aparentemente sem solução. Alguns pontos lembraram-me, especialmente, Jogos Mortais – tenho certeza que há uma influência, mesmo que indireta, dessa obra na saga cinematográfica.
O livro é um bom divertimento, mas há algo na obra de Agatha Christie que ainda não me cativa por completo. Não sei se passei tempo demais escutando comparações entre a autora e Arthur Conan Doyle (que amo), então imagino uma espécie de rivalidade entre os dois. No clássico policial, ainda prefiro as aventuras de Sherlock Holmes – talvez por familiaridade, não sei. Mas é lógico que não posso retirar os méritos de “E Não Sobrou Nenhum”, que é, sem dúvidas, um livro excelente.
Vale um comentário a respeito do título do livro, que foi alterado por motivos “politicamente corretos”. Anteriormente, ele chamava-se “O Caso dos Dez Negrinhos”, mas o título foi alterado para evitar qualquer conotação racista.

Quando lá tinha o muro – Flix

O muro de Berlim foi mais que um grande bloco de concreto que separou um trecho de terra de outro pedaço. O muro que dividiu uma nação de forma social, política, econômica e cultural é o protagonista das tiras criadas por Flix.
As tiras nada mais são que relados colhidos pelo cartunista de amigos e conhecidos sobre suas memórias a respeito da época em que o muro ainda dividia a Alemanha em duas.
As tiras não estão diretamente ligadas à Guerra Fria e nada tem a ver com defender um ou outro modelo político. São relatos com sabor de memória sobre tempos que dividiram um país e assustaram o resto do mundo. O muro de Berlim significou coisas diferentes para pessoas diferentes e é isso que as tirinhas, inspiradas em relatos reais, tentam passar. Para muitas pessoas, o muro não significou grandes mudanças, para outras foi algo que abalou fortemente suas vidas.

Cada uma das tiras tem uma cor predominante e elas dialogam com a história que contam. A arte do livro é impecável, os traços são bastante caricatos. As histórias se passam intercalando passado e presente, memórias revisitadas pelo autor para criar o livro.
“Quando Lá Tinha o Muro” começou com uma tirinha feita pelo próprio autor para um jornal alemão, contando uma lembrança de sua infância e correlacionando-a com a época que o Muro de Berlim ainda estava de pé. A série de tiras fez tanto sucesso que ele foi buscar outras pessoas e resolveu documentar as lembranças delas em tirinhas, reunidas nesse livro. A leitura é super ágil e vale muito a pena. Apesar de contar com histórias rápidas e simples, todas elas são fortes e deixam um espaço para reflexão.
A capa nacional é igual a capa alemã (no post), mas com o título em português. Porém, não encontrei a imagem da capa nacional.

Louca por Você – Fernanda Belém

Apaixonada por futebol e formada em jornalismo, a niteroiense Fernanda Belém estreia na literatura com o romance “Louca Por Você”, lançado pelo selo “Novos Talentos da Literatura Brasileira” da editora Novo Século.
O livro nos apresenta Renata, que está namorando mas ainda sente algo pelo ex, com quem terminou há três anos atrás. Próximo ao seu aniversário, ela envia um convite virtual para que seu ex, Vitor, compareça a seu aniversário. O que ela não imaginava é que ele realmente fosse aparecer! Depois disso, a vida de Renata vira de cabeça para baixo, ela não faz ideia do que poderia acontecer por causa de um simples convite.
Com uma narrativa fluída e muitos diálogos, o romance de estreia de Fernanda Belém é agradável, divertido, cotidiano e ótimo de ser lido. A leitura flui rapidamente e a trama tem várias reviravoltas.

Eu detestei o Vitor. Odeio homens que não se decidem, pensam que só eles que tem problemas. Em momento algum senti que ele gostava de verdade da Renata, estava mais preocupado com aparências do que com sentimentos. Se eu fosse ela, tinha dado um chute nele há muito tempo! Mas eu adorei o Carlos, achei um dos personagens mais legais do livro junto com a Priscila.
A Renata tem personalidade, é forte e, apesar de tudo, não parou de viver para esperar uma reação do Vitor. Embora ela vacile em alguns momentos, dá para compreender que ela faz isso apenas porque gosta muito dele. Mas ainda assim, muitas vezes tinha vontade de dar um sacode na personagem!
Eu gostei muito do livro e da forma como a autora explorou as possibilidades, mas senti falta de um trabalho de edição no texto para aprimorar o livro e cuidar de alguns pequenos furos que ficaram na história, como passagem de tempo. Esse é um problema que nada tem a ver com revisão, mas sim com edição de texto e esse selo da Novo Século tem graves problemas nesse quesito! Todo livro precisa passar por um editor que aponta erros, acertos, pontos onde a obra pode ser melhorada, etc, e nunca vi isso em livros desse selo, o que é uma pena. A história, que já é legal, poderia ter melhorado muito mais com pouco, cortando alguns diálogos, trazendo um pouco mais de narração e descrição e acertando alguns pontos para que a passagem de tempo não ficasse tão corrida e furos menores, como o fato do livro começar e a Renata já estar no fim da faculdade, mas três anos depois ela ainda estar estudando. Em um contexto geral, isso não atrapalha muito, mas você sente que havia potencial para a obra melhorar muito mais!
O que eu mais gostei é que, apesar de simples, o livro mexe com os sentimentos do leitor, que vibra, sacode o protagonista e torce por um desfecho ideal. Louca por Você é um delicioso livro de estreia e dá para sentir que a Fernanda tem futuro nesse caminho profissional que escolheu.

Cobertura: lançamento "Louca por Você"

Hoje a livraria Saraiva do Plaza Shopping Niterói estava lotada para o lançamento do livro “Louca Por Você”, da niteroiense Fernanda Belém. Uma fila enorme se formou a partir das sete da noite e só cresceu, todos ansiosos para garantirem um autógrafo da autora estreante.
A jornalista Fernanda Belém é apaixonada por futebol e fundadora do site Bela da Bola. Simpática e super nervosa com sua estreia literária, Fernanda distribuiu sorrisos e autógrafos – os primeiros muito trêmulos por causa do nervosismo – para todos que estavam pela livraria.

No evento estavam presentes as autoras Carolina Estrella, Patrícia Barboza e Tammy Luciano. Tinha até emissora de televisão cobrindo o lançamento. Puro luxo! Garçons distribuíam prosecco para os presentes na fila que não parava de crescer.
“Louca por Você” conta a história de Renata, que está cansada do namoro sem tempero que cultiva com Rodrigo. No seu aniversário de 23 anos, ela envia um convite virtual para o ex, Vítor, para que ele vá ao seu aniversário. Sem saber se ele vai aparecer ou não, ela se surpreende ao reencontrá-lo e sentir emoções que pensava terem sumido há três anos.
Comecei a ler o livro hoje, mas já estou na metade! Amanhã devo publicar a resenha. A leitura está fluindo de forma deliciosa. Em breve teremos uma entrevista com a Fernanda por aqui, fiquem de olho.

Está chegando!

Interrompemos nossa programação normal para que eu possa falar novamente do meu livro. Hoje pela manhã minha editora postou fotos da prova do livro no Twitter! E ele está lindo, lindo, lindo por dentro.  Para ver como ficou, é só clicar nas fotos que elas ampliam.
Adicione o livro no Skoob, curta a página no Facebook e garanta seu exemplar na pré-venda com 20% de desconto e frete-grátis!

Sinopse: Todo mundo sabe o que é se apaixonar: o frio na barriga, os abraços, os beijos e os sorrisos. Só que ninguém gosta quando o relacionamento dá errado e termina de uma hora para a outra, sem explicações. Melissa sabemuito bem disso. Afinal, ela nem chegou a duas décadas de vida e possuiuma lista de ex-namorados (e alguns ex-qualquer-coisa-indefinida) maior do que gostaria. Mel prometeu para Rebeca, sua melhor amiga, que agora iria focar em seufuturo e deixar os relacionamentos para depois, pois tendiam a terminar mais rápido do que começavam. O que ela não esperava era conhecer, por acaso, um cara maravilhoso que parecia o Príncipe Encantado com quem tanto sonhou. E, menos ainda, que seu melhor amigo voltaria para a cidade trazendo consigo um monte de lembranças e acontecimentos especiais. E agora, como ficará o já cansado coração da dividida Mel?