Sobre mim

Meu nome é Iris, tenho 21 anos e sou autora dos livros Confissões on-line e Dividindo Mel. Sou estudante de Comunicação Social, trabalho com livros e adoro falar sobre música, literatura e comportamento.

Confissões on-line

Confissões on-line é meu segundo livro e será lançado em novembro de 2013. Saiba mais

Adicione no Skoob e Goodreads.

Agenda – 2014

Em 2014 farei eventos para lançar meu livro em várias cidades do Brasil. Os eventos abaixo já foram marcados, fique de olho para saber se sua cidade terá um evento.

22/03. Curitiba
Livrarias Curitiba - Shopping Palladium
Horário: 10h00 (Dez da manhã)

25/04. São Paulo
Saraiva - Paulista

10/05. Recife
Saraiva - Shopping Rio Mar

Quer um evento na sua cidade? Entre em contato com a @Generale_ED e peça evento na sua cidade!

Dividindo Mel

Dividindo Mel é meu primeiro livro e foi lançado em dezembro de 2011. Saiba mais.

Adicione no Skoob e Goodreads.

Instagram

Siga no instagram: @irisfigueiredo

Arquivos: 01/08/2011

O livro das coisas que acontecem por aí – Felipe Tazzo

“O livro das coisas que acontecem por aí” é uma coletânea de contos publicada por Felipe Tazzo.
Para quem já leu “Feliz Ano Novo” do Rubem Fonseca, o autor segue mais ou menos o mesmo estilo de narrativa. Os contos possuem uma “amarração” entre si e alguns deles estão interligados – como os contos do bar e os três contos intitulados ”Lados”.
A linguagem de Felipe é crua e ele explora algumas situações à margem da sociedade, por isso a comparação inevitável com os contos de Rubem Fonseca. Os contos são bem escritos e diferentes do que eu imaginei.
O livro é bem diagramado e a revisão também é boa. Em cada conto há uma ilustração alusiva ao tema principal do texto. As ilustrações são muito bonitas e feitas por diferentes ilustradores.

O livro é bem escrito e os contos são interessantes – algumas vezes um pouco previsíveis, mas em outras o autor consegue lançar mão do elemento surpresa. Ele mantem o ritmo durante os contos e não há altos e baixos entre eles, o que é um pouco difícil quando trata-se de uma coletânea. Além do ritmo, como já disse anteriormente, há uma boa amarração para que os contos apareçam no momento certo no livro.
Não tem como falar muito a respeito dos contos. Primeiramente, porque os contos são bem curtos e em segundo lugar, porque são diversos contos em um livro só. A coletânea de Felipe é diferente de antologias que contam com participação de diversos autores. A dele segue uma linha literária única, aborda diversos temas mas todos eles parecem estar conectados entre si.
A publicação do livro foi financiada pela prefeitura de Campinas.