Sobre mim

Meu nome é Iris, tenho 21 anos e sou autora dos livros Confissões on-line e Dividindo Mel. Sou estudante de Comunicação Social, trabalho com livros e adoro falar sobre música, literatura e comportamento.

Confissões on-line

Confissões on-line é meu segundo livro e será lançado em novembro de 2013. Saiba mais

Adicione no Skoob e Goodreads.

Agenda – 2014

Em 2014 farei eventos para lançar meu livro em várias cidades do Brasil. Os eventos abaixo já foram marcados, fique de olho para saber se sua cidade terá um evento.

22/03. Curitiba
Livrarias Curitiba - Shopping Palladium
Horário: 10h00 (Dez da manhã)

25/04. São Paulo
Saraiva - Paulista

10/05. Recife
Saraiva - Shopping Rio Mar

Quer um evento na sua cidade? Entre em contato com a @Generale_ED e peça evento na sua cidade!

Dividindo Mel

Dividindo Mel é meu primeiro livro e foi lançado em dezembro de 2011. Saiba mais.

Adicione no Skoob e Goodreads.

Instagram

Siga no instagram: @irisfigueiredo

Arquivos: July 2011

Autor do Mês: J.K. Rowling

Só porque ela está LINDA nessa foto!
J.K. Rowling dispensa apresentações. Nada mais justo que ela ser autora do mês no mês e dia de seu aniversário – que também é aniversário de Potter!
Na certidão ela é apenas Joanne Rowling, mas adotou o Kathleen em homenagem a sua avó e também por sugestão de seu editor, que queria que ela abreviasse seu primeiro nome, chamando atenção de leitores masculinos para seu livro (assim como C.S. Lewis e J.R.R. Tolkien fizeram). J. Rowling não era tão pomposo, então, Joanne se tornou Joanne Kathleen Rowling, ou simplesmente J.K. Rowling – nome que hoje é respeitado em praticamente todo o mundo.
A autora de Harry Potter foi a primeira pessoa a tornar-se bilionária escrevendo livros e abriu espaço para uma geração que descobriu na literatura um novo prazer. Com certeza, 90% dos jovens leitores atuais devem sua paixão pelos livros à J.K. Rowling.
Joanne recebeu a Ordem do Império Britânico, que é dividido em cinco classes. A classe de J.K. é OBE (Officer of British Empire), o que é uma grande honra. Mas surpresa seria se ela não recebesse esse título, não é mesmo? Ela é, sem dúvidas, uma das maiores personalidades britânicas do século.

Em 2006 a Forbes, a mesma revista que a estimou como a primeira pessoa a ficar bilionária escrevendo, também a colocou como a segunda personalidade feminina mais rica do mundo, perdendo só pra Oprah!
Joanne é filha de Peter John Rowling e Anne Volant, que se conheceram na estação King Cross quando embarcavam em uma viagem de trem de Londres para a Escócia. Parece que os trens estavam destinados, desde sempre, a ser parte da vida de J.K. Rowling. Como todo bom fã sabe, foi em uma viagem de trem que Joanne teve a ideia para Harry Potter.
A história de Rowling é enorme, cheia de altos e baixos. Rowling é, sem dúvidas, um exemplo de persistência e superação. Ela recebeu diversas cartas de recusas a Harry Potter, mas ainda assim continuou tentando. Imagine se ela houvesse desistido de cara? O que seria da Geração Harry Potter?
A vida de Rowling é inspiradora. Eu poderia passar o dia inteiro falando sobre ela, mas todos nós a conhecemos como se fosse parte de nossa família. Para quem não conhece a autora tão bem, deixo aqui a primeira parte de um documentário sobre um pouco da vida da escritora que marcou uma geração. Sei que a maioria já viu o vídeo, mas nunca é demais compartilhar. Me emociono toda vez que assisto!

Esse post não é bem um “autor do mês”. É dedicado para a aniversariante do dia, a autora da “geração” e de mutas outras gerações futuras. Feliz aniversário, Joanne. E nós esperamos muito mais vindo de você, não nos deixe abandonados e sem histórias.

Capas: Comida

A coluna dessa semana está deliciosa – literalmente. É difícil vermos capas com alimentos, mas se pararmos para ver, existem aos montes! A seleção dessa semana está aí para mostrar isso. Para conferir mais sobre cada livro, é só clicar na capa. Muitas dessas capas não tem o alimento como ícone principal, mas eles estão ali! Eu sei que vocês vão ficar com água na boca e querer saber mais sobre a história que essas capas escondem.

Depois desse post bateu até uma f
ominha… Acho que vou na cozinha procurar uma comida!

O Capital – Karl Marx (versão mangá)

O Capital é considerada a obra máxima de Karl Marx e um marco no pensamento socialista marxista. A obra original é um conjunto de livros escritos por Karl Marx que criticam o pensamento capitalista. Como é um livro teórico, minha curiosidade estava toda concentrada em como conseguiriam transformar isso em mangá.
Uma pequena história foi criada – de um produtor de queijos que produzia sua mercadoria artesanalmente, mas foi engolido pela ganância e vontade de aumentar seus lucros. Ele parte para a cidade grande e monta uma fábrica de queijos financiada por um empresário que só tem olhos para o lucro.
No meio dessa história, vem a crítica ao capitalismo e a aplicação de algumas teorias marxistas.

Lógico que o mangá não entra em detalhes a respeito dessas teorias marxistas, mas explica “por alto” cada uma delas. Eu acho que a explicação é rápida demais, algumas vezes vem em notas de rodapé que não são tão bem explicadas.
A leitura do mangá não deve nunca substituir a leitura da obra, ainda mais no caso de quem estuda essas teorias. Mas achei ideal para dar uma nova abordagem às aulas de Geografia e História do Ensino Fundamental e Médio, pois muita gente não gosta desse assunto “capitalista” ou “comunista”, mas ao ver uma abordagem leve, pode assimilar melhor o ensino em sala de aula.
Como eu sempre bato nessa tecla por aqui, as escolas deveriam trabalhar melhor os clássicos e as adaptações deveriam ser usadas como aliadas para preparar terreno para as versões originais da obra, aumentando assim o número de leitores por prazer e não por obrigação.

O Silêncio do Túmulo – Arnaldur Indridason

A primeira frase do livro já me prendeu: “Ele soube na hora que era um osso humano, quando o tirou das mãozinhas de um bebê que estava sentado no chão, mastigando-o”. A partir daí, eu já sabia que deveria esperar alguma coisa diferente.
Um esqueleto foi encontrado por acaso em um canteiro de obras. Os ossos são, provavelmente, da época da Segunda Guerra Mundial e, caso tenha havido um crime no local, a maior parte dos envolvidos pode estar morta ou com idade extremamente avançada. Mas o detetive Erlendur não tira a importância do caso por causa disso.
Ao começarem a cavar o terreno onde os ossos estão enterrados, começam a cavar o passado das vítimas e moradores da colina, voltando a um período sombrio e revirando memórias que podem machucar aqueles que ainda estão vivos.
A narrativa de Idridason é de grudar. Você começa pensando: “vou ler algumas páginas” e quando vê já é madrugada e você quer ler mais. O cenário da Islândia é um episódio a parte: nunca havia lido um livro passado no país. Não sei se isso acontece com vocês, mas quando termino um livro, acho que conheço um pouco do lugar onde ele se passa, é como se eu viajasse até lá. Minha primeira viagem a Reykjavik foi de tirar o fôlego.
O livro alterna entre a investigação, a vida pessoal de Erlendur (que tem um destaque menor na trama em relação aos outros acontecimentos) e a uma família que viveu na colina na época da Segunda Guerra – nós acompanhamos os acontecimentos da época. Essa família é essencial para o desfecho do livro e a história deles é de deixar amargurado.
O autor explora temas como violência doméstica e conflitos familiares de uma forma nova. Acho que o maior mérito de Indridason é tentar trabalhar o psicológico dos personagens, pois o desfecho não importa muito, mas sim as atitudes que levaram até ele.
O livro faz parte de uma série e quero muito ler os próximos livros do detetive Erlendur. Recomendadíssimo para quem gosta de policiais e conflitos psicológicos.

Título: O silêncio do túmulo
Autor: Arnaldur Indridason
Tradutor: Álvaro Hattnher
Número de páginas: 320
Preço de catálogo: R$36

Resultado do sorteio: 18 meses de blog

Preparei um pequeno kit para vocês em comemoração ao aniversário de 1 ano e 6 meses do blog. Obrigado por me acompanharem por esse período! Vamos ver quem foi o leitor que ganhou?

Parabéns Talita Silva de Oliveira! Você tem 5 dias para enviar seu endereço para literalmentefalando@live.com. Espero que goste do seu prêmio.
Ainda tem promoções rolando no blog. As inscrições para o booktour vão até dia 31! Beijos e até a próxima.

Divulgada a capa de "A Fera"

Depois de muita espera, finalmente “A Fera” será lançado no Brasil. A Galera Record acabou de divulgar a capa e a sinopse oficial do livro. A capa é essa que vocês veem aí do lado. Quem está ansioso? Quem quiser ver minha resenha, clique aqui.

Sinopse
Eu sou uma fera.
Uma fera. Não exatamente um lobo, ou um urso, um gorila ou um cão, mas uma terrível criatura que anda em duas patas — uma criatura com dentes e garras e pelos surgindo de cada poro de minha pele. Sou um monstro.
Você acha que estou falando de contos de fada? De jeito nenhum. O lugar é Nova York. O momento é agora. Não sofro de uma deformidade ou uma doença. E vou ficar dessa forma para sempre — destruído —, a não ser que possa quebrar o feitiço.
Sim, o feitiço, aquele que a bruxa da minha aula de inglês lançou sobre mim. Por que ela me transformou em uma besta que se esconde durante o dia e rasteja à noite? Vou lhe contar. Vou lhe contar como eu costumava ser Kyle Kingsbury, o cara que você gostaria de ser, com dinheiro, beleza e uma vida perfeita. E aí vou contar como me tornei… a fera.

Sobre a autora
Alex Flinn adora contos de fada e fez suas duas filhas aguentarem dezenas de versões de A Bela e a Fera enquanto escrevia este livro… E aí perguntou a elas como uma fera agiria para encontrar uma garota em Nova York. É autora de outros cinco livros, vencedores de vários prêmios norte-americanos. Ela mora em Miami.
Previsão de lançamento: 24 de agosto.

Liberte Meu Coração – Mia Thermopolis (& Meg Cabot)

“Liberte Meu Coração” é de autoria de Sua Alteza Real Amelia Mignonette Grimaldi Thermopolis Renaldo, princesa da Genovia. Ou simplesmente, Mia Thermopolis, que ficou conhecida no mundo inteiro por causa de seus diários. Mas agora Mia ataca como autora com a ajudinha de sua escrivã oficial, Meggin Patricia Cabot, ou melhor, nossa querida Meg Cabot.
O romance, nos moldes dos livros de Patrícia Cabot, conta a história de Finnula. Ela é uma jovem um pouco fora dos padrões da época – enquanto suas irmãs se preocupam com o ofício de bordar e cozer, Finnula veste suas calças de couro e vai caçar nas propriedades do conde para alimentar os menos favorecidos.
Por motivos extraordinários, Finnula sequestra Hugo Fitzstephen, que está voltando para a Inglaterra após dez anos lutando nas Cruzadas. Ambos escondem segredos e ela mal podia imaginar que sua vítima se apaixonaria por ela (naquela época não conheciam a síndrome de Estocolmo).
Prepare-se para uma sucessão de acontecimentos divertidos, absurdos e engraçadíssimos. É um romance histórico voltado para o relacionamento de Finnula e Hugo, mas também há espaço para mistério – um pouco previsível. Mas é adorável, sem dúvidas.
Se você me perguntar o que eu acho de “Liberte Meu Coração”, eu vou responder que achei a coisa mais deliciosa, divertida e surreal que li nos últimos dias. É tudo tão fora da realidade que eu consigo ver a Mia narrando cada cena do livro.
Não é meu gênero literário favorito, mas eu acabei lendo porque estava muito curiosa a respeito do “livro que a Mia escreveu”. Adorei essa brincadeira que a Meg fez, respeitando a própria personalidade da personagem como “escritora”. É o tipo de livro que Mia lê e escreve, você sente a personagem pelas páginas.
Eu gostei muito, foi uma experiência diferente em vários sentidos. Primeiramente, pelo livro ser “escrito” por uma personagem e segundo por nunca ter lido romance histórico. Mas para as meninas mais novas (as fãs de Meg de doze anos, por exemplo), acho melhor esperar um pouco para ler, pois a autora não poupa os leitores dos detalhes no relacionamento de Finn e Hugo.
Divertidíssimo, surreal, você terá vontade de socar o Peter e o que mais eu preciso dizer? É Meg Cabot! Até eu que não curto a Mia gostei do romance “dela”.

Feliz dia do escritor!

Escritores são criadores de mundo. Pessoas um pouco mágicas, as vezes colocadas em pedestais e que nos mostram vidas que não conheceríamos de outro jeito. Como forma de homenagem a esses criadores de mundos fantásticos e nunca antes explorados, hoje é o dia nacional do Escritor: essas pessoas responsáveis pelo objeto que nós amamos – os livros. Então, como comemoração, vou deixar fotos minhas com alguns autores que tive o prazer de conhecer.
Nicholas Sparks

Carolina Estrella

Paula Pimenta

Flávia Cortês e Eliana Martins

valter hugo mãe

Pola Oloixarac

Leila Rego

Patrícia Barboza

Tammy Luciano

Fernanda França
Babi Dewet (eu numa ponta e ela em outra haha)

Aos escritores que conheci pessoalmente, aos que conheci através de seus textos e aos que vou conhecer tenho duas coisas a dizer: parabéns e obrigado.

PS: Percebi que, apesar de ter milhões de fotos com a Babi, não temos nenhuma sozinhas! Mas a Babi é linda e vocês precisam ler Sábado à Noite.