Sobre mim

Meu nome é Iris, tenho 21 anos e sou autora dos livros Confissões on-line e Dividindo Mel. Sou estudante de Comunicação Social, trabalho com livros e adoro falar sobre música, literatura e comportamento.

Confissões on-line

Confissões on-line é meu segundo livro e será lançado em novembro de 2013. Saiba mais

Adicione no Skoob e Goodreads.

Agenda – 2014

Em 2014 farei eventos para lançar meu livro em várias cidades do Brasil. Os eventos abaixo já foram marcados, fique de olho para saber se sua cidade terá um evento.

22/03. Curitiba
Livrarias Curitiba - Shopping Palladium
Horário: 10h00 (Dez da manhã)

25/04. São Paulo
Saraiva - Paulista

10/05. Recife
Saraiva - Shopping Rio Mar

Quer um evento na sua cidade? Entre em contato com a @Generale_ED e peça evento na sua cidade!

Dividindo Mel

Dividindo Mel é meu primeiro livro e foi lançado em dezembro de 2011. Saiba mais.

Adicione no Skoob e Goodreads.

Instagram

Siga no instagram: @irisfigueiredo

Arquivos: 07/04/2010

As Cores do Mal – Jennifer Lynn Barnes

Gente, antes de tudo, eu quero dizer que encerra daqui a pouco a promoção de Estrela Píer da Kamila Denlescki. Para participar, cliquem no banner do topo. Talvez não seja possível divulgar a lista de participantes amanhã, pois a internet está péssima por causa da chuvarada aqui no Rio. E por causa disso também, o exemplar que será sorteado ainda não chegou aqui em casa, mas até sábado ele deve estar chegando. Mas eu sorteio antes do sábado, e sobre a entrega eu converso com a ganhadora.
Minha cidade (São Gonçalo, na região metropolitana) foi uma das mais atingidas, e estou desde segunda sem ir pra faculdade. E amanhã também nem devo ir. O bairro ao lado do meu alagou e hoje helicópteros passaram o dia sobrevoando o bairro. Além disso, o bairro que minha amiga mora é o que está tendo mais desmoronamento na região. Então, visualizem a minha situação!
Agora, vamos deixar de blá blá blá e vamos ao que interessa…

Lembra que eu falei aqui que não havia gostado do início desse livro e acabei abandonando? Então, eu resolvi dar uma segunda chance para ele. E a resenha vocês conferem agora:

Sinopse: LISSY – ou Felicity, ela sempre se esquece de falar o seu nome original – muda-se com a família da Califórnia para Oklahoma. Alô-ô, Oklahoma?! É. O-kla-ho-ma. Onde as pessoas ainda dançam quadrilha e levam panelas de comida umas para as outras. Na escola, ou você é perfeitamente perfeita (leia-se Dourada) ou totalmente desprezível (Renegada, ou um ser humano normal). Lissy deixa para trás a melhor amiga e um namoro que estava mais pra lá do que pra cá… Em resumo, inferno astral adolescente. Lissy é de uma família onde as mulheres são capazes de ler a aura das pessoas. Você mentiu, sua aura passa de rosa para marrom. Fez bobagem? O amarelo fica vermelho. Como se entender a hierarquia entre as Douradas e as Renegadas não fosse complexo o suficiente, está cada vez mais difícil para Lissy esconder seu poder. Se ela não tomar cuidado, se tornará uma Renegada tão depressa quanto alguém pode pronunciar a palavra nerd. Tentando não se queimar com as Douradas Lilah, Tracy e Fúcsia, Lissy descobre, no primeiro dia de aula, que seu professor de Matemática (o gato-mor da escola, o benemérito cidadão exemplar) carrega o Garn – a falta de cor, absolutamente sem vida, o reflexo de algum ato tão monstruoso que matou a aura… E ela precisa impedir que ele continue a fazer o que quer que seja de maligno.
Nota:

O livro começa meio bobo e cansativo, na verdade eu achei até um pouco fútil para o que ele propunha. Lissy possui um dom hereditário: a visão. Todas as mulheres da sua família possuem, mas cada uma o desenvolve de uma forma. E Lissy pode ver auras.
Eu vou confessar que acho essa parada de aura completamente furada. Na verdade, eu peguei o livro sem nem ler a sinopse, e esperava que fosse sobre outra coisa. Quando vi sobre o que era desanimei, e quando li os primeiros capítulos desanimei mais ainda.
Mas ontem eu resolvi dar uma segunda chance e voltei a ler. Depois de um tempo, o livro vai se ajustando. Demora um pouco para a autora pegar o pique da própria narrativa, mas aos poucos parece que a própria autora vai se entendendo mais com a história e os personagens.
O poder de Lissy vai amadurecendo, e juntamente a isso ela encontra um cara que apresenta uma aura Garn. Esse é o nome que Lissy usa para descrever as pessoas que tem uma aura “sem-cor”, como se não a possuíssem. Geralmente, essa aura nunca é inteira, e quem apresenta alguns pontos dessa “ausência” fizeram algo ruim. E seu professor tem a aura totalmente assim. Então, Lissy começa a ficar intrigada com isso. Em meio, claro, à exclusão social-escolar super característica.
Quando a narrativa toma uma forma mais definida, o livro passa a ficar legal. E na verdade, eu não poderia imaginar o final que o livro recebeu. Tirando a decepção inicial, acho que foi uma leitura tranquila e o livro é legal.
A continuação do livro é Platinum e ainda não saiu por aqui.